01 junho 2011

Believe.

Post number 200. I've been writing a lot -_-"
Why? Because it helps me organize my ideas, a teacher once told me that if i wrote everything i think about (or try to) it will help me communicate better. It will help me put my thoughts in a linear and understandable phrases =)
That's one of the reasons why i blog. And because i like it to =)
Why i have posts in Portuguese and in English? 'Cause i've always used both languages the same way. So sometimes i can express myself better in one language and others in the other language and sometimes in both languages. Our thoughts shouldn't be limited by our language so we should learn more so we can express our ideas in a more comfortable way.  Ok then, now for the post # 200...



Ah medo...como já te conheço tão bem, já tens um lugar certo na minha vida. Não porque deixo que me governes, mas porque vejo em ti um aliado. Permites que faça uma boa escolha. Tu que tanta vez me impediste de fazer tanta coisa...mas a culpa não é tua...és como uma criança, que quando vez algo pela primeira vez gritas que a queres, queres, QUERES tudo. O problema é meu porque te dava tudo que pedias, pela falsa promessa de segurança e de conforto. Mas o que é a segurança e o conforto se em troca disso abdicamos da nossa liberdade...deixamos que o Medo nos governe. NÃO irás ditar as minhas acções, NÃO irás controlar as minhas palavras. Estas serão de acordo com o que acredito. Sei que quando não me controlas, a falsa sensação de segurança e conforto desaparece...sinto-me nu...mas em troca disso vem a liberdade. E ser livre para pensar é algo que não quero descartar, por isso velho amigo, não te estou a mandar embora ou a ridicularizar. Preciso de ti. Fazes parte de mim e irei te usar como uso o bom senso. De forma moderada e irei trabalhar para que tomes apenas de mim, o que é necessário para viver livre.

Sei que nem sempre fiz as escolhas mais acertadas e por vezes ainda tento me lembrar porque as fiz, mas é algo que não toma muito do meu tempo. Sei que quando as fiz, fi-las de forma consciente e nessa altura foi a melhor opção que encontrei. Noutras condições teria feito outras...talvez. 
Também escuto essas vozes da incerteza que lentamente tentam nos acorrentar, que diminuem a nossa chama. Sei que por vezes as coisas não acontecem como queriamos que acontecessem. Mas a vida é assim, não se trata de termos o que queremos mas o que fazemos com o que temos. Também sei que raramente escolho o caminho mais fácil...e isso já me trouxe muitos problemas e situações complicadas, já me afastou de amigos e pessoas que amo. E custa ver situações onde adorava escolher estar com quem amo, estar com familia, com a minha sobrinha que ainda só tem algumas semanas de vida mas já tem no olhar o nascer de um novo mundo. Adorava fazer muita coisa, mas escolhi esta via. Não é fácil e por vezes doi mais do que penso que posso suportar. Mas sinto cá dentro, com cada átomo que faz de mim o que sou que é isto que tenho que fazer. E se tiver que sacrificar a minha vida por aquilo que acredito, passando pela dor de não estar com quem quero estar, que seja. Estou ciente das minhas escolhas.  Mas é assim que sou. Ainda estou a crescer e a tentar perceber como as coisas funcionam. Não é fácil...as pessoas deste mundo são um pouco estranhas. Às vezes até fico um pouco farto...mas por outro lado, já vi pessoas a ter atitudes nobres das quais servem para equilibrar a estranhesa =)  Sei que em cada um de nós há um potencial. Uma energia que nos permite ser o melhor de duas coisas, bom ou mau. Somos feitos de um material que nos dá a oportunidade de ser algo fantástico capazes de mudar mundos. Para o melhor ou para o pior. Há quem aceda a esta energia e faça isso, para um ou para outro lado. Mas a maioria tem medo. Ou nem sequer imagina o que tem. Então vive de forma a não aceder a este potencial com receio do que pode acontecer se sair da zona de conforto, passando a vida a tentar sobreviver a cada dia, onde cada dia é mais um dia para aguentar e passar ao próximo, como se tratasse de uma viagem de comboio...onde cada estação é apenas mais um dia e passar por essa estação é algo que queremos fazer depressa.

Não gosto disto, acredito que o segredo da vida não está em tentar chegarmos depressa e seguros ao "destino" final. Para isso que saltem uma ponte...sempre despacham as coisas. Nem acredito em devolvermos o nosso corpo à terra com cuidado e intacto. Claro que temos que ter cuidado...para tentar prolongar a nossa estadia aqui de forma saudável e racional. Mas haja limites...de que vale uma vida que dura 70 anos vivida a 50% ? Havendo coisas que nos passam ao lado diáriamente. Não gosto. Prefiro apostar em qualidade do que quantidade de anos. Não digo que devemos fazer coisas estupidas, apenas não deixar o velho amigo Medo nos dominar e realmente vivermos uma vida digna de ser relembrada e que sirva de inspiração a todos. Como um farol na noite escura, a nossa vida deverá mostrar tudo que o ser humano é capaz de fazer, desta forma todos iremos ter noção do que existe cá dentro, do impossível que somos capazes de fazer.

Nesta altura não seremos controlados pelos limites impostos pelos que não querem lutar ou aqueles que rapidamente desistem. Daqueles que nos dizem que não vale a pena...para "apanhar juízo", dos que conscientemente ou inconscientemente tentam nos forçar acreditar na forma como eles acreditam que o mundo seja, que o facto de eles desistirem e não conseguirem significa que o resto do mundo também não consegue. Tenho pena que algumas pessoas pensem assim. Mas não vamos deixar que nos digam o que somos capazes de  fazer, somos mais que isso, somos muito mais do que isso, oh se somos. Se cada um de nós usasse todo o seu potencial...super-heróis de banda desenhada com o homem-aranha e o super-homem não teriam tanto impacto. Pois cada um de nós faria coisas que desafiam a lógica. Estou a falar disto mas acredito que ainda não atingi o meu potencial, apenas sei que o tenho e estou a lutar com tudo que tenho, com todas as ferramentos que consigo juntar para o atingir, para ser tudo que posso ser. Um dia alguém muito especial disse-me que eu era capaz de mudar o mundo, de fazer o impossível. Mesmo que ela já não viva entre nós, as suas palavras fazem agora parte de mim.

E também sei que por vezes se agirmos como acreditamos ser correcto isso irá nos colocar de lado, talvez. Mas pode acontecer. Mas também acredito que a penalização que a sociedade nos pode dar não é nada comparada com o que a nossa alma, o nosso coração e o eu irá sofrer senão agirmos como sabemos que devemos agir. Porque lá no fundo, sabemos bem como agir se pararmos para pensar, para reflectir. Se resistirmos à tentação de olhar para o outro lado, se apagarmos as desculpas da nossa mente. Não ceder às desculpas que a sociedade impõe, porque na verdade o que chamamos de sociedade somos nós, nós somos a sociedade. Logo cada um de nós influencia como lidamos com as pessoas. Estas desculpas tornam algumas decisões mais fáceis, escolher o conforto e olhar para o lado e com estas desculpas conseguimos dormir, ignorando o mundo e o que está a acontecer. Mas o mundo não pára, coisas hediondas estão a acontecer enquanto lês isto. Crianças morrem à sede e fome sem perceber porquê. Raparigas com menos de 10 anos vendem o corpo por um pedaço de pão. Mães e Pais veêm os filhos morrer porque não conseguem fazer mais para lhes dar medicamentos, comida. E ficam zangados, revoltados. Quem não ficava? O que podemos nós fazer? Quem somos nós para mudar isso? O mundo é mesmo assim...  ARGHHHHH...TOU TÃO FARTO DESTA CONVERSA. Eu próprio já usei estas desculpas, sei bem como elas parecem ser correctas e como nos ajudam a lidar com as coisas. MAS ISTO ESTÁ ERRADO. Não pode ser certo. NÃO PODE. Digam o que disser, isto está tão errado a tantos níveis que cheira mal. Não posso, NAO VOU aceitar que uma criança morra, que um animal sofra pelo simples facto de que é assim que as coisas são. Não acredito nisto porque vejo pessoas diáriamente a lutar para que isso mude. Isto acontece porque eu, tu e grande parte das pessoas pensa dessa forma. Mas chega. FARTEI. ACabou. O Poço da indeferença secou. Não irei mais beber desta apatia que falsamente nos sacia a nossa consciência. Se incomoda, tenho pena. Será que assusta tanto algumas pessoas eu ser tão diferente? Se calhar irias te sentir mais seguro e confortável se eu não fosse diferente...mas não me podes controlar, não encaixo nas tuas etiquetas e talvez isso faz-te perceber que ainda não sabemos nada deste mundo, de como as coisas são como elas são e como podem ser tão diferentes do que pensamos. Devemos sempre olhar para as coisas e pensar nelas, mas olhar e pensar nelas como elas são...não como nos dizem que elas são.

Talvez fosse mais fácil para as outras pessoas se as minhas acções fossem comuns, se fosse apenas mais um em silÊncio a viver nas sombras. Se calhar o resto do mundo tem razão, se calhar eu estou errado e a minha vida é uma ilusão.  Mas há um diferença, ao menos estou a dar tudo por tudo, tou a tentar o meu melhor a tentar fazer a diferença mesmo quando muitas pessoas me dizem para estar quieto, para não sair da fila, para tirar da cabeça as ideias de que posso mudar o mundo ou fazer alguma coisa para mudar a forma como as coisas estão. ESTOU FARTO DISSO. PAREM DE DIZER O QUE POSSO E NÃO POSSO FAZER. Que raio...se "vocês" nem sabem o que podem fazer quanto mais tentar dizer aos outros o que podem fazer...que é que vos está a passar pela cabeça? Quando na fase do vosso crescimento a esperança, a magia da vossa juventude morreu? Quando e PORQUE deixaram essa magia desaparecer? Não escutem as vozes que vos tentar definir. Enfrentem-nas, devorem-nas com argumentos válidos, com razão e com reflexão.  E com um sorriso mostrem-lhes o quanto cada um pode brilhar para que elas se lembrem o que também podem fazer. Há pessoas que o fazem para nos reduzir, outras porque acreditam que nos estão a ajudar. Não estou contra elas, antes pelo contrário, podia ser eu, podia ser qualquer um de nós. E não quero de forma alguma quero insultar estas pessoas. Na realidade não são bem as pessoas que me irritam, mas sim as suas acções. O que fazem. E quando digo "vocês" apenas o digo de forma a mencionar os quem identifico nestas condições, sei que não são todos assim e tive sorte em encontrar muitos que não são assim, que a sua simples presença a troca de palavras permitiram-me ir mais longe. Bem-haja =)

Divaguei um pouco para variar...podia ter escrito mais sobre isto ou aquilo...mas queria deitar para fora o que já estava cá há algum tempo. Quando dou por mim estou a escrever mais do que planeava...mas a vida é isso mesmo, por vezes quando damos conta não fazemos a mínima ideia do que aconteceu ou como as coisas aconteceram. Peço desculpa por algum erro ou por algo que julguem estranho. Ou melhor...algo mais estranho ainda =P
Não tenho qualquer intenção de me fazer sentir bem ao escrever o que escrevo ou de apontar defeitos para salientar alguns atributos. Apenas quis partilhar o que sinto, o que acredito. Sei que por vezes as minhas palavras e acções não são compreendidas e julgam que o faço para chamar a atenção ou para mostrar o que não sou. Gostava que me perguntassem primeiro, antes de tecer essas ideias mas cada um é livre de pensar no que quer e não posso forçar as pessoas a pensar no que acredito. Mesmo que isso esteja directamente ligado a quem sou. Tenho pena que julguem antes de conhecer, antes de perguntar. Enfim, todos estamos a crescer, todos estamos a aprender. Porque no final...no final de tudo ainda somos humanos.

2 comentários:

Vanessa disse...

ena... tanta coisa importante... por onde começar? :)

Ponto 1 - concordo contigo :) escrever faz bem... muito bem. Ajuda a por a cabeça no sítio e mais que isso, a aperceberes-te do que vai dentro dela. Em inglês ou português... tanto faz ;)

Ponto 2 - medo. é dar-lhe a mão e dizer "anda, nós somos capazes :) "

Ponto 3 - escolhas "pouco acertadas" e caminhos difíceis. não sei se é geral, se sou eu que tenho essa tendência, mas paro muitas vezes para pensar se estou realmente no percurso certo, se não estarei a valorizar coisas erradas ao abdicar tantas vezes de quem mais me preocupo para correr atrás do que acredito ser o meu caminho. Mas também acho que não o conseguiria fazer de qualquer outra forma... Ver a vida passar por mim, não perseguir o que chama por mim, não faz sentido... viver com medo de viver e de atingir o que se sonha, seria uma vida deprimente... mas pessoas que fazem isso e tentam convencer-nos a fazer o mesmo não faltam por aí... não o fazem por mal... simplesmente perderam a força algures pelo caminho... talvez não tenham tido a sorte de encontrar alguém que as fizesse acreditar nelas e no seu potencial. Nesse aspecto, acho que podemos mudar o mundo sim :) pequenas coisas que podemos fazer no dia a dia e que podem ter um peso enorme para alguém. Um sorriso, uma palavra amiga, um encorajamento, podem fazer toda a diferença do mundo :)

Ponto 5 - Injustiças deste mundo. Aí não sei bem que dizer... posso ter várias opiniões sobre o mesmo assunto? Por um lado olho para a natureza e vejo que de justa ela não tem nada. Ou melhor, há todo um equilíbrio baseado na injustiça de uns e na sorte de outros, que não consigo decidir-me. Crianças a morrer à fome? Sim, é uma realidade muito triste. Principalmente quando pensamos nos desperdícios da nossa sociedade. Por outro lado não consigo deixar de pensar (e se calhar esta visão é menos humana) que temos um planeta finito e que já somos demais. Claro que essas crianças não têm culpa nenhuma disso, mas é uma realidade. Quanto ao resto, acho que ainda temos muito que crescer. Muita consciência para ganhar. Mas haveremos de lá chegar :)

Ponto 6 - acredito firmemente que cada um de nós tem a capacidade de conseguir o que quiser :) (claro que isso pode incluir mais ou menos esforço =P ) por isso ouve o que essas pessoas têm a dizer, é a experiência de vida delas e tem o seu valor. No entanto mostra-lhes que não passa disso mesmo, que eles são eles, tu és tu. E se tu acreditas que és capaz, então tu és capaz :)

Ponto 7 - seres incompreendido? é melhor habituares-te á ideia =P é triste que nos julguem sem nos conhecerem em condições, mas não te preocupes muito :) não se pode agradar a gregos e a troianos por isso sê verdadeiro contigo e com os outros e quem souber apreciar isso que aprecie, quem não souber, problema deles...

E pronto, dou por terminado o meu comentário =P não sei bem porquê, mas achei que o teu post merecia uma resposta comprida :) não que acrescente alguma coisa ao que disseste, longe disso, mas sei lá, ás vezes sabe bem sabermos que não "estamos sozinhos" :) que nos digam que não estamos malucos e que nos deêm força para seguir a suave loucura (como eu gosto de lhe chamar) que nos corre nas veias :) good luck and don't u ever give up ;)

Paul d.C. disse...

Never give up =)
A parte da injustiça apenas considero injustiça no que fazemos ou nao fazemos. Na Natureza as coisas são diferentes. Podemos achar que é injusto uma leoa caçar uma cria de uma gazela...mas talvez a cria da leoa não ache o mesmo. Ache que ela (Natureza) tem as coisas bem definidas =)
Nós é que talvez tenhamos o conceito de justiça um pouco deturpado. E já pensei que eramos muitos no planeta...que estavamos em excesso. Foi há muito tempo atrás...agora já não penso assim, penso que o que é necessário é aprendermos a viver no que temos a lidar com os recursos de forma sensata e explorar o espaço. Temos capacidade para isso se pararmos de perder tempo e recursos com coisas parvas e estupidas. Vivemos numa Era que agora nos pertence. E nesta Era não pode haver lugar para pensamentos que nos reduzem ou atitudes pessimista e que iniciam qualquer acção com um sentimento de derrota.

Nunca me afectou muito ser incompreendido, não é bem isso que me chatei-a. Acho que isso irá mesmo acontecer sempre e nam pretendo agradar ninguem =) É mesmo a parte de as pessoas tentarem analisar a tua vida e meter-te numa das suas caixas rotuladas...considero isso uma limitaçao...mas somos todos livres.

Quando à resposta, adorei =) Fico contente que há mais pessoas com uma forma de pensar parecida ou que pelo menos pensam nas coisas =) Fico feliz. Estou sempre aberto a novas opiniões, quer a favor ou contra, faz-nos bem =)

Muita Força para aí tambem Vanessa =)