26 setembro 2011

food for thought.

"One word, Ma'am," he said, comming back from the fire; limping, because of the pain. "One word. All you've been saying is quite right, i shouldn't wonder. I'm a chap who always liked to know the worst and then put the best face i can on it. So i won't deny any of what you said. But there's one thing more to be said, even so. Suppose we have only dreamed, or made up, all those things - trees and grass and sun and moon and the stars and Aslan himself.
Suppose we have. Then all i can say is that, in that case, the made-up things seem a good deal more important than the real ones. Suppose this black pit of a kingdom of yours is the only world. Well, it strikes me as a pretty poor one. And that's a funny thing, when you come to think of it. We're just babies making up a game, if you're right. But four babies playing a game can make a playworld which licks your real world hollow. That's why i'm going to stand by the play-world. I'm on Aslan's side even if there isn't any Aslan to lead it. I'm going to live like a Narnian as i can even if there isn't any Narnia. So, thanking you kindly for our supper, if these two gentlemen and the young lady are ready, we're leaving your court at once and setting out in the dark to spend our lives looking for Overland. Not that our lives will be very long, i should think; but that's a small loss if the world's as dull a place as you say."

-Puddleglum, in Ch. 12: The Queen of Underland


E é assim que este se torna um dos meus escritores favoritos.
Obrigado C.S. Lewis.



4 comentários:

c disse...

e isto tinha tanto para falar! capacidade de sonhar, na forma de encarar a vida, das escolhas que fazemos... daquelas coisas que poderíamos escrever imenso e nunca chegar a explicar o todo.

Paul d.C. disse...

isso mesmo c, apenas este pequeno texto retirado do livro levanta tanta questão e promove a discussão sobre tanto assunto, agora imagina o livro inteiro =) E cada vez que o lês, devido à tua experiência de vida, interpretas os acontecimentos de forma diferente. Já reli livros dele que após alguns anos da primeira leitura compreendi alguns pontos...ou percebi de forma diferente. Penso que um bom livro nunca se lê apenas uma vez =)

Concordo, acho que nunca vamos conseguir explicar tudo, nem compreender tudo...mas isso não nos impede de tentar =P

Joana disse...

Gostei muito da escrita desse autor. Leve, simples e imaginativa. :)

(Quanto ao teu comentário no meu post, ontem, já que estudamos na mesma cidade, só para teres uma ideia: aquela praxe tem fama de ser a pior da academia cá! Sinceramente, não sei se estou para passar por isso quando sei que uma praxe não tem de ser assim e que existem praxes muito melhores do que aquela...)

Paul d.C. disse...

c e Joana, se um dia quiserem, tentem ler. Penso que irão gostar muito =)


Joana, sobre a praxe, na mina faculdade (pelo menos no meu ano) havia diversão e bom convívio, eu apenas não frequentei para me centrar nos estudos, mas tenho colegas que continuaram e disseram que foi fantástico. É pena que como em muitas situações há pessoas que tornam algo bom em algo mau...enfim. Terás mesmo que avaliar se vale a pena, vais mais umas vezes e vês como a situação se desenrola ;) Tem cuidado é se te envolves muito e depois não "consegues" sair.