16 agosto 2011

respira fundo.

...
estou a tentar.

Não vou fingir que tenho as respostas para tudo que acontece e por vezes não faço a mínima ideia do que se passa pelo mundo. Custa, mas vou ser honesto. Não faço ideia do que se passa mesmo. Mas fica por aqui. Não é por não saber como o meu sistema digestivo funciona que vou deixar de comer. Sim é verdade que não tenho as respostas para tudo, mas ao menos estou a tentar que a vida faça algum sentido. Estou a tentar fazer o que acredito estar certo. Podia ir com a maré e juntar-me à multidão que acredita no "isto é uma selva, ou pisas ou és pisado", podia mesmo fazer isto e talvez poupava-me muitas dores de cabeça. Poupava a confusão que me faz quando algumas pessoas agem como agem. E repetem essa frase na cabeça como forma de justificar o que fazem...e aquela outra "também me fizeram isso..." e sem falar naquela que acho que é interessante "toda gente faz isso, porque vou agir de forma diferente?". Podia praticar a minha apatia...porque preocupar com o que fazemos aos outros, custa e por vezes é mais difícil do que parece.

Somos criaturas fantásticas, quando nos convém somos capazes de criar as mais incríveis desculpas. Mas apenas quando nos convém. "Ou pisas ou és pisado"...a sério? E que tal levantarem-se e encontrar uma nova solução? E que tal, PARAR e pensar no que estão a fazer. É assim tão grande o medo de sobressair da multidão? É preferível continuar a ser movido pela mesma ignorância que muitos. Ou pior, ter consciência disto e mesmo assim continuar a agir dessa forma. Que acho ainda mais estúpido. Há pessoas que não pensam...repetem na cabeça o que ouvem em filmes, programas de tv ou conversas de café. Parar para pensar nas coisas com a própria cabeça é difícil, implica tomar decisões e poucos gostam de sentir a responsabilidade de tomar uma decisão. Por isso vamos fazer os que os outros fazem...sempre temos desculpa e podemos dormir melhor...isto meus amigos, irrita-me.

"Também me fizeram isto...". Linda desculpa...então porque um imbecil qualquer te magoou, automaticamente tens o direito de fazer o mesmo, ou seja, de agir como o imbecil que te magoou. Será que apenas estavam à espera dum motivo para agir assim? Deixar que uma pessoa nos altere assim demonstra que não sabemos ao certo quem somos. Não estou a falar sobre a nossa reacção perante uma agressão verbal ou física. Mas sim, usar o que nos fazem como desculpa para o que fazemos a estranhos. E porque não essa desculpa para fazer coisas boas? De certo que também nos fazem coisas boas, então vamos fazer coisas boas a estranhos, porquê? "Porque também nos fizeram..."



"toda a gente faz isto, porque vou agir de forma diferente?" nem sequer vou comentar esta...



Mas que sei eu?


Sou só um tipo a escrever sobre o que penso.
E escrever até se torna fácil.
Falar sobre ideais e formas de agir. 
Mas nada nos prepara para o mundo. 
Por mais que escreva, por mais que expresse o quanto isto me irrita,
tenho medo que um dia comece a agir assim. 
Mas isto não me impede de escrever e talvez um dia possa de vez em quando rever estes textos e saber que numa altura da minha vida eu acreditei que nós, como pessoas, somos muito mais que isto. Mais que simples desculpas.
Somos...podemos ser heróis, anjos, guardiões, símbolos de força e justiça para os demais.
Basta saber escolher, pensar por nós. 
Ainda pouco ou nada sei da vida e ainda tenho tanto
tanto para crescer. 
Se calhar estou errado. 
Seja como for, ao menos estou a tentar. 
Tentar fazer o que acredito 
mesmo quando isso implica ter pessoas que nos afastam ou julgam...
E depois levo com aquela:
 "Oh Paul...eu também já fui assim...mas tive que crescer e mudar."
E pergunto: A sério que já acreditaste no melhor de cada um? Em dar oportunidades e lutar por algo melhor? Diz-me...porque raio foste mudar?

mas hey...quem sou eu para julgar seja quem for...
também caio...também falho e bato bem fundo no poço.
Mas de que vale ter ideais e uma moral própria
 se cedemos ao mundo e desistimos?
Eu espero...que lá no fundo muitos de nós estão a fazer o melhor que podemos.

...

Por isso, Paul do futuro, se estás a ler isto espero bem que isto tudo ainda te faça sentido. Porque senão faz e pensares que nesta altura eras apenas um miúdo a escrever sem saber nada da vida...PENSA lá bem no que te fizeram...rapaz não faço ideia do que nos espera. Tu ao leres isto já passaste por isso, e apenas tu sentiste a dor e a desilusão mas por favor,  não deixes que o mundo molde quem és.

 

5 comentários:

Joana disse...

Concordo plenamente com este texto, essas desculpas são de pessoas sem personalidade. Por vezes as pessoas não conseguem ser melhores do que o que já é de esperar. E é mais fácil seguir o rebanho do que andarmos sem ele. :)

Carla disse...

Está tudo dito aqui, expressaste.te lindamente. :)
Toda a gente erra, mais cedo ou mais tarde. Uns "vingam-se",outros perdoam, outros vivem sempre na dúvida do perdoar ou não. Eu acho que devemos arriscar sempre. Mesmo sem ninguém a apoiar. Podem ser coisas insignificantes, mas têm de ser feitas. :)
Adorei mesmo o texto.

...Ju... disse...

o meu lema é agir sempre em consciência! nada paga o preço da consciência pesada!

Paul d.C. disse...

Tocaste no ponto Joana, acredito que seja isso mesmo.

Sim, Carla, mesmo que sejam insignificantes devem ser sempre feitas. Essas coisas pequenas vão lentamente construindo a pessoas que somos.

Concordo contigo Ju, agir de consciência tranquila é sempre bom. E mesmo que enganem a consciência por uns momentos, acabam por esgotar as desculpas e nessa altura...bem, nessa altura tenho pena dessas pessoas.

Girl in Motion disse...

não deixes que o mundo molde quem és.


é isso. devemos ser nós. o mundo magoa-nos mas não nos podemos tornar frios por causa disso. 'dont lose who you are in the blur of the stars' - Jessie J