11 março 2012

quero.

Quero encontrar novas formas de te fazer sorrir. Quero quebrar todas as barreiras, muros e muralhas que foste construindo depois de cada sofrimento na tua vida, espera... pensando melhor prefiro não fazer isso pois elas representam algo na tua vida, fazem parte de ti, quero antes aprender como criar uma porta em cada um delas, uma porta por onde apenas eu possa passar. E para isso quero ouvir cada história que me tens para contar, cada história que deu origem a cada parede que tens à tua volta. Quero saber quem ou que situação te fez construir tal muralha. Quero que me contes tudo que já te fez sofrer e rir, quero que me contes todas as tuas inseguranças e como ainda tens medo sempre que assistes à fragilidade que algumas relações apresentam e como facilmente quebram.  Quero ser o teu diário, onde contas o teu dia e tudo que sentes, tudo o que acreditas e eu vou absorver tudo. Conta-me tudo, quero saber tudo. E depois vou-te mostrar o que é ser amada, tu mereces sentir esse calor que nasce mesmo no centro de ti, quero que o sintas a expandir dentro de ti como se estivesses a explodir. Quero partilhar contigo isto, quero que percebas que toda essa dor que pensas que mereces sentir... não tem sentido, tu mereces ser feliz e essas ideias de que mereces sofrer ou que a verdadeira felicidade é uma ilusão vêm de todas as pessoas que aos poucos fizeram-te acreditar que não merecias sorrir. Quero que a minha voz seja como o sol quente numa tarde fria de inverno. Quero que encontres no meu corpo o teu refúgio, que compreendas o que é estar segura e protegida enquanto sentes os meus braços a envolver o teu corpo. Quero estar bem perto de ti para te apanhar sempre que caíres, quero que saibas que não estás sozinha, que não tens que lutar sozinha, eu estou aqui. Terás que ser forte, pois assim que me deres permissão irei conhecer-te como ninguém, como nem tu te conheces. Terás que confiar em mim assim como confio em ti. As coisas que vou partilhar... a empatia que vamos criar será invasiva. Não te assustes, irás compreender que não há problema... serei outro tu, serás outro eu.  E quando precisares de um sítio para te refugiares e recuperar de toda a dor... saberás que me tens aqui.

Quero compreender o teu silêncio, o significado de cada pausa que fazes ou mesmo quando não dizes nada e simplesmente olhas para mim. Acredita, vamos chegar a um ponto onde iremos ter longas conversas onde o único som que irá estar presente será a chuva a bater na janela, acompanhado da inconstante luz de uma fogueira que arde bem perto. Mas não muito perto, pois os nossos corpos também servem como fonte de calor. E vamos aproveitar para estarmos semi-sentados, semi-deitados... envolvidos como apenas um casal sabe fazer. Pois embora as leis da ciência digam que dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo, vamos provar o quão errados podem estar. Quero que os meus lábios aprendam o sabor da tua boca. Quero sentir o teu respirar no meu peito, no meu pescoço. Quero reconhecer a tua voz enquanto durmo. Quero sorrir quando vejo que recebi uma mensagem tua. Quero ver-te morder o lábio só de pensares em mim. Quero-te.


Quero-te aqui. Sinto a tua falta em tudo que faço. Quero-te aqui. Mas sei bem que vais mexer comigo de formas que ainda não consigo imaginar, mas mesmo assim quero-te. É como estar no centro d'um furacão onde a paz reina, onde tudo parece calmo, mas basta um passo em qualquer direcção e sentimos toda a fúria da tempestade, é esta sensação que tenho. Sei que é isto que vai acontecer. Quero-te aqui. Provavelmente quando estiveres aqui vais ser a tempestade na minha vida... vais agitar tudo que acredito... e isso é fantástico. É como aquele instante antes de saltarmos de paraquedas há o perigo de morrermos, de o paraquedas não abrir, mas a emoção que sentimos é tão grande que acreditamos valer a pena o risco. Tu vales a pena este risco. Não quero que leias o que escrevo com leve animo, pensando que estou apenas a juntar algumas palavras de forma que se crie um texto bonito... acredita que cada letra, palavra, frase, conjunto de ideias... representa algo próximo do que pretendo expressar, o que agora sinto enquanto não estás aqui. É uma forma que tenho de expressar o que realmente sinto, da falta que me fazes. Tudo isto reflecte o que a minha mente e coração acreditam. É claro que ambos têm perspectivas diferentes e diferentes formas de como um dia irei interagir contigo, mas o sentido que cada frase tenta expressar é real.  Quero-te aqui, pois saber que não estás no mesmo local que eu não me agrada. Nada. Saber que ainda não te conheço, que ainda passo momentos onde olho para o lado e vejo o teu lugar ainda por preencher, custa. Sou paciente, mas a paciência não apazigua a falta que me fazes. Eu sei que é apenas uma questão de tempo, eu sei que te vou encontrar, eu sei que vou fazer tudo para sermos felizes... mas até lá...


Quero que saibas que suportar estes momentos sem ti não é facil, por vezes eu não quero estar aqui quando o aqui não te tem presente. O que me importa este momento, mesmo sendo tudo que tenho, se tu não fazes parte dele? Quero encontrar-te onde quer que estejas, desafiar tudo que possa ser desafiado para poder estar contigo. A minha paciência e serenidade servem para que eu possa crescer e compreender as coisas, não para ter que viver sem ti. Ainda vou esperar, esperar saboreando cada minuto até te encontrar, sabendo que a cada dia que passa é um dia mais próximo de ti. Quero-te encontrar e lutar por ti, quero-te encontrar e que sintas o que é ser desejada, que alguém te quer, muito. Seria mais fácil para te encontrar se fosses apenas linda ou interessante. E não há mal nenhum em ser linda e interessante. Conheço muitas raparigas lindas e outras interessantes... e até conheço algumas que são lindas e interessantes. Mas para muita pena minha ainda não te encontrei. Parece que para mim não basta seres linda e interessante, ainda falta algo, um não sei bem o quê, aquele click, aquela sensação especial, aquele momento onde trocamos o olhar e tudo faz sentido. Talvez já te conheça e um de nós ainda não está preparado... talvez ainda não te conheço... seja qual for a razão... ainda não estás aqui, aqui nos meus braços. 


Quero ouvir-te dizer que precisas de mim e que me amas, com a tua voz, com o teu toque, com o teu olhar. Porque por vezes as palavras, estas nossas palavras não chegam para expressar a razão pela qual vivemos. Quero conhecer-te como ninguém antes te conheceu, quero explorar cada pensamento teu, quero reconhecer todo o teu corpo de olhos fechados, quero acordar no  meio da noite e sentir o teu cheiro misturado com o meu. Quero rir-me das tuas piadas mesmo quando achas que não tens piada, quero ver-te brincar com o teu cabelo enquanto te distrais a ver alguma série ou filme. Quero ser a primeira pessoa em quem pensas quando queres contar algo. Quero ser a imagem que vês quando ouves uma criança a rir. Quero deixar-te pequenas surpresas ou bilhetes na tua roupa ou na carteira para  encontrares a meio do dia. Quero ligar-te num momento que não estás à espera e deixar-te corada e a desejar que estivessemos juntos nesse momento. Quero mostrar-te que não há mesmo dias iguais, que cada dia é único... e vou-te mostrar porquê. Quero namorar cada ideia que tenhas e apreciar como a expressas. Quero conhecer cada entoação da tua voz e o que significa. Quero olhar para ti e observar cada momento, não só porque és linda mas também porque adoro ver-te. Honestamente não importa muito o que estás a fazer pois tens algo em ti... um toque que apenas tu tens e que expressas sempre que te mexes e mesmo quando não te mexes, é fantástico. Quero mostrar-te o que realmente significa quando alguém te abraça, olha para ti e a única coisa que ouves antes de sentires um doce beijo é: "Amo-te". Quero-te. Quero envelhecer contigo.


Quero formar uma vida contigo para um dia quando formos bem velhos reparares que a maior parte das tuas rugas vêm de todas as vezes que nos rimos juntos, dos momentos de pura felicidade onde nos rimos tanto que até nos doia a barriga. Nessa altura quero olhar para cada detalhe da tua face e identificar cada riso, cada gargalhada. Quero beijar-te pelos momentos em que sofremos, sim, porque embora a minha intenção é ser-mos felizes, é fazer-te feliz... iremos ter maus momentos. Provavelmente irei te magoar. Irá acontecer o contrário. Somos humanos e eventualmente magoamos quem amamos, não é uma questão de "se", mas uma questão de "quando".
Iremos sofrer um com o outro e  embora não goste da ideia não te sei dar a resposta... pelo menos agora não sei. Não te sei dizer porque magoamos quem amamos, sei que acontece. Infelizmente acontece, somos humanos. Dizer que nunca te vou magoar é tão certo como tu dizeres que nunca me vais magoar. Quero que confies em mim, vou-te dar razões para o fazeres. Quero que confies em mim como vou confiar em ti, pois quando essa dor chegar iremos conseguir lutar contra ela porque estamos juntos, porque criamos algo maior do que essa dor. Porque estamos juntos e sabemos muito bem o que cada um significa para o outro. O tipo de ligação que vamos criar não se define por palavras nem se poderá ver. Mas pode-se sentir... e é tão bom.

Quero fazer todas as coisas que podemos fazer. Todas as aventuras que podemos ter. Subir montanhas, acampar, voar... tanta coisa que quero fazer contigo. Mas quero mais aquelas coisinhas que ninguém se lembra, que parecem ter pouca importância. Acredito que são as mais importantes. Fazer-te o pequeno-almoço, acordar-te com leves beijos e sussurrando o teu nome com os lábios bem perto do teu pescoço, abraçar-te enquanto dormes sempre que reparo que estás a ter um pesadelo, massajar o teu corpo e fazer desaparecer todo o cansaço que foste acumulando ao longo do dia. 



Quero muita coisa... mas até chegar a esse momento vou continuar a escrever para ti, pois há uma hipótese de leres o que escrevo, que te possas rever no que escrevo e que saibas... que saibas que há um tipo, eu, que ainda acredita em pessoas como tu, que acredita no bem e no que está correcto, que vive para te ver sorrir e que ainda escreve para ti... pois eu não sei como não o fazer.



Um beijo,
Paul

4 comentários:

...Ju... disse...

acabei de ler num blog, que não existem príncipes encantados, que os homens já não sabem amar, que os homens não sabem nada sobre o amor.

felizmente que, pelo teu texto, posso ainda acreditar que há pelo menos 1 que contraria essa teoria.

parabéns.

Just a Lady disse...

O teu texto está mesmo maravilhoso, parabéns :) nem há palavras, está simplesmente lindo :)

Miss Purple disse...

eu também =)

Sara Matos disse...

Fiquei sem palavras, como pode existir outra pessoa no mundo que está neste momento na mesma situação, a sentir as mesmas coisas, tudo... eu estou extasiada de todo.